Saturday, January 21, 2012

Os Profetas Menores

Pelo Rev. Jose Oliveira, M.Div.

PROF_MENORESO mesmo que foi dito a respeito do título “Profetas Maiores”, pode ser dito a respeito do título “Profetas Menores”, isto é, não se pense que por se chamar estes doze livros do Antigo Testamento, “profetas menores”, sejam eles de menor importância. Referindo-se a eles como “menores” se presta a identificar o fato de que o tamanho destes é menor, se comparado com os “maiores”, como Isaías, Jeremias, etc. A coleção vétero-testamentária dos Profetas Menores é de grande importância para a teologia. Através deles temos uma melhor idéia do estado religioso de Israel tanto nos período pré-exílico como pós-exílico, e incluindo informações sobre outras nações em suas relações com Israel. Neste artigo, vamos abordar três aspectos importantes destes livros do Antigo Testamento: organização canônica, períodos abrangidos, e a quem foram endereçadas as suas mensagens.

Comecemos com a organização canônica. Na Bíblia Hebraica, não existe a divisão profetas maiores e menores. Diferentemente das Bíblias Protestantes e Católicas, a Bíblia Hebraica possui somente tres grande divisões: a Torah, os Nevi'im, ou seja, os Profetas, e os Ketuvim, isto é, os Escritos. Os doze profetas menores ali, são considerados um só livro, dentro da secção dos profetas. Esta secção, os profetas, é dividida por alguns estudiosos em Profetas Anteriores, ou seja, os profetas que são mencionados nos livros de Josué – II Reis, e os Profetas Posteriores, de Isaías a Malaquias (sem incluir Lamentações e Daniel), mas, incluindo os doze profetas menores como um só livro.

Quanto ao período abrangido, os Profetas Menores podem ser considerados a partir da seguinte divisão: 1. Pré-Exílicos: (referindo-se ao Exílio a Babilônia): Oséias (Os 1:1); Joel (nenhuma data aparece no livro, e estudiosos o classificam tanto com pré e pós-exílico. Aqui, o classificamos como pré-exílico, seguindo a opinião mais conservadora); Amós (Am 1:1); Obadias (nenhuma evidência específica é dada a respeito da data neste livro, mas estudiosos como Dr. Constable[1], tendem a classificá-lo entre os pré-exílicos); Jonas (2 Reis 14:25); Miquéias (Mq 1:1; Jr 26:18); Naum (escrito antes da destruição de Níneve em 612 A.C; Tebes, mencionado in 3:8’10, caiu em 664 A.C., portanto deve ter sido escrito entre 664-612 A.C); Habacuque (Hb 1:6); Sofonias (1:1); 2. Pós-Exílicos: Haggai (Ag 1:1); Zacarias (Zc 1:1); Malaquias (Em 1:8, encontramos um termo, pehâ, governador, que aponta para o período persa, não somente a palavra, mas também o fato de que em Jerusalém há um governador; além do templo, que já está construído; tudo isso indica o período pós-exílico.

Observar a quem foram estas profecias endereçadas ajuda-nos a entender um pouco da mensagem desses profetas. Há três tipos de destinatários para os profetas menores: 1. O Reino de Judá. Há quatro profetas menores que especificamente dirigiram sua mensagem ao reino de Judá e que pregaram neste contexto: Joel anuncia o juízo de Deus através do Império Babilônico, simbolizado numa praga de gafanhotos; Miquéias era contemporâneo de Isaías e sua mensagem antevia a destruição de Jerusalém; Habacuque escreveu a respeito do domínio dos babilônios sobre Judá. Sofonias, ainda que também prega às nações, porque estas compartilharão a destruição que Judá e Israel sofrerão, debaixo dos impérios assírio e babilônico; 2. O Reino de Israel: Amós, embora originário do reino de Judá, pregou ao reino de Israel. Em seu livro uma há grande preocupação com a justiça social e é o primeiro a se referir ao “Dia do Senhor”, que preanuncia o juízo de Judá e Israel através de impérios gentios; Oséias revela a mensagem de Deus através dos infortúnios de seu casamento(s), teria sido ordenado por Deus a casar-se com uma prostituta para simbolizar a infidelidade da nação de Israel -- cuja destruição é iminente. 3. A Comunidade Judia Pós-Exílica. Três profetas pregaram aos que retornaram a terra de Israel: Ageu, ainda que se referiu à queda dos reinos em poder, sua principal mensagem ao povo foi a exortação para reconstruir o templo; Zacarias está interessado em levantar o ânimo da comunidade, lembrando-os dos erros dos pais e apontando-lhes um futuro glorioso; Malaquias tem sua mensagem lidando com o relaxo religioso que os israelitas estavam vivendo, pouco tempo depois de terem voltado do Exílio. 4. As Nações. Embora vários profetas menores fazem referências às nações à volta de Israel, ou que dominaram a nação em várias épocas, há três deles que tratam especificamente delas: Jonas, ainda que relutante, foi ordenado pregar à capital da Assíria, Nínive, o que a teria livrado de uma prematura destruição; Naum, trata da eventual destruição de Nínive (é discutível qual destruição se refere, se nos dias de Senaqueribe, Assubarnípal ou se pelos Medos Babilônios), que, adiada nos dias Jonas, foi inevitável depois, segundo a profecia de Naum. Obadias, que para alguns era um edomita convertido ao Javismo, foi chamado a profetizar à sua nação, Edom, condenando sua arrogância e violência contra Israel, sua nação-irmã.

Em analisando a mensagem dos Profetas Menores nota-se que há uma preocupação com o levantamento dos impérios mundiais, os quais se tornaram instrumentos de juízos divinos tanto a Israel como Judá, e demais nações. Há também frequente referências às nações vizinhas ou poderes emergentes com os quais Judá e Israel tiveram que lidar. Finalmente, há os profetas pós-exílicos que se ocupam com a Comunidade Pós-Exílica em Jerusalém, encorajando-os na reconstrução da nação.

Os profetas menores trazem uma contribuição importante para a teologia bíblica. Deles aprendemos que Deus não tem favoritos, pois o povo de Deus é tratado como as outras nações quando se afasta dos Seus caminhos. Através deles também nos conscientizamos que Deus soberanamente lida com as nações para o cumprimento dos Seus propósitos. E, por fim, vemos que Deus cuida e encoraja os seus filhos e filhas a prosseguirem em comunhão com Ele, sejam como nação, ou como indivíduos.

O estudo dos Profetas Menores é o assunto de uma matéria específica em um dos programas do Instituto Teológico Simonton. Se você gostaria de conhecer mais a respeito desse impressionante grupo de servos de Deus, considere estudar conosco, matriculando-se em nossa escola, seguindo o link abaixo:

http://itsimonton.tripod.com

itsimontonlogo


[1] http://www.soniclight.com/constable/notes/pdf/obadiah.pdf

No comments:

Post a Comment

Post a Comment